Página Inicial > Notícias > Notícias > Ipesaúde realiza ações educativas e exames em evento alusivo ao Dia Mundial do Diabetes

Ipesaúde realiza ações educativas e exames em evento alusivo ao Dia Mundial do Diabetes

O Centro de Endocrinologia e Diabetes Luciano Barreto Júnior, do Instituto de Promoção e Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Sergipe (Ipesaúde), encerrou a programação de atividades em alusão ao Dia Mundial do Diabetes na última quinta-feira, 24. A programação contou com a realização de ações educativas para conscientização dos beneficiários e a oferta de exames.

Nos primeiros dias do evento foram realizados exames do pé diabético, exames de retinopatia, testes rápidos para doença renal e orientações com ênfase na importância do tratamento e autocuidado. A nutricionista e coordenadora do Centro de Endocrinologia e Diabetes, Juliana Mendonça, explica que é sempre importante orientar sobre o diabetes e seus cuidados. “Em eventos como esse promovemos a educação em diabetes, debate sobre o tema, ampliamos os cuidados e tratamentos, ressaltando a importância do acompanhamento nos serviços oferecidos pelo Centro de Diabetes”.

Para a médica endocrinologista, Karla Freire Rezende é de suma importância promover ações de conscientização por dois motivos: “temos um grande número de beneficiários no Ipes que são idosos e justamente é essa faixa etária que o diabetes mais incide, então eles precisam aprender a lidar com a doença, a controlar e trabalhar o autocuidado para evitar complicações do diabetes”.

Karla explica que devido a pandemia, muitos beneficiários com doenças crônicas interromperam os acompanhamentos aos especialistas. “Agora, estamos lidando com os pacientes que estão sem cuidados médicos há dois anos. Uma demanda grande reprimida, então, com o intuito de reforçar o cuidado contínuo, precisamos chamar a atenção para a gravidade que o diabetes pode causar como amputação, cegueira, insuficiência renal, entre outras. A médica endocrinologista é a grande cuidadora de pessoas com diabetes, mas é uma doença a ser cuidada por um time e nisso nós somos protagonistas neste centro com a equipe multidisciplinar”, afirma.

Todo paciente diabético que faz acompanhamento no Ipesaúde passa pela avaliação nos pés. A enfermeira Gabriela Santos, afirma que é importante fazer o exame para detectar neuropatia e saber se o paciente tem risco de adquirir uma úlcera, “a gente pode saber se ele está com todas as sensibilidades e se a circulação sanguínea está boa”.

A beneficiária Isaura Maria Félix é diabética há mais de 20 anos e tem o acompanhamento da equipe multidisciplinar do Centro desde o começo. “Acho muito bom o serviço porque tenho assistência de tudo: médico de vista, exame do pé, endocrinologista “, diz. Para ela, a alimentação saudável é um dos pontos chaves, mas considera muito importante o acompanhamento em conjunto com toda equipe do Ipes.

Testes

Além da presença da equipe multidisciplinar da unidade, também foram convidados professores e estudantes da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e Universidade Tiradentes (Unit) para a finalização das ações educativas com os beneficiários presentes no centro.

“Viemos fazer uma triagem nos pacientes diabéticos e pré-diabéticos para prevenir a Covid-19 e outras comorbidades nesta ação referente ao Dia Mundial do Diabetes, realizamos testes para Covid-19, teste de glicemia, colesterol e aferição de pressão”, detalha Lysandro Borges, coordenador da força tarefa do Labic UFS. Ele alerta que o coronavírus está em alta circulação e que as pessoas com diabetes precisam preservar a saúde, pois já possuem uma doença de base.

A beneficiária Sônia da Paixão é pré-diabética, e foi orientada a se cuidar, praticar caminhada e melhorar a alimentação. Na oportunidade fez o teste da glicemia, do Covid-19, que deu negativo, e também aferiu a pressão arterial, “o bom é que está tudo ótimo”, afirma. Já Mariza Rodrigues é diabética há cerca de 10 anos e é acompanhada pelo Centro desde então, enquanto foi à nutricionista aproveitou os testes disponíveis que estavam sendo realizados na unidade, “acho que seja mais seguro e mais completo”, diz satisfeita com o serviço.

“Quanto mais cedo a gente descobrir mais chance de cura, ou uma melhora, pois o diabetes causa várias complicações, inclusive recentemente perdi um tio que teve as duas pernas amputadas por causa do diabetes, então quanto mais cedo a gente poder fazer o acompanhamento com o médico melhor”, relata Faulberg Araújo, acompanhante de uma beneficiária com pré-diabetes.

Cuidados com a nutrição

Na oportunidade a professora da Unit e nutricionista, Sandra Maia, esteve com suas alunas realizando atividade interativa numa roda de conversa trazendo possibilidades para somar alimentos “porque não restringimos nada, nós apresentamos as possibilidades e sugerimos a substituição por um alimento mais simples que o paciente gosta”, afirma. O evento de diálogo aproximado promove uma relação melhorada com a alimentação, uma vez que a assistência humanizada evita que o paciente caia na monotonia alimentar.

“Trabalho sempre com uma ferramenta pedagógica provocativa, uma encenação no ambiente para as pessoas presentes se verem naquela situação. E então o que eu posso fazer, para trocar e não substituir na alimentação? Precisa buscar outras possibilidades, tendo o profissional de nutrição apresentando uma relação melhorada com alimento, que é bem comportamental”, explica Sandra.

Outro assunto abordado foi o diabetes tipo 1, mais conhecida como DM1. O beneficiário que tem essa doença autoimune precisa de um tratamento muito profissional, pois eles param de produzir 100% de insulina. A nutricionista do Ipesaúde, Cínthia Fontes, afirma que os pacientes precisam de um conhecimento maior sobre opções de refeições saudáveis para controlar melhor a glicemia e viver bem com a doença. “Então para o simples ato de comer ele precisa pensar sobre o que está comendo, fazer o cálculo, estimar quanto de insulina ele toma para aquela alimentação. Por isso que exige tanto do paciente um pouco mais de conhecimento sobre nutrientes”, revela a nutricionista.

Serviço

O Centro de Endocrinologia e Diabetes é uma unidade voltada à promoção de hábitos saudáveis, programas de educação em saúde e abordagem de enfermidades como o diabetes, hipertensão arterial e a obesidade. Um dos mais modernos centros de atendimento ao paciente diabético, com uma estrutura que dispõe de consultórios, ambulatório de feridas do pé diabético e exame do pé em risco. O Centro possui serviços de Endocrinologia adulto e pediátrico; Clínica Médica; Serviço de Enfermagem; Nutrição; Educação em Saúde.

Para mais informações, os beneficiários podem entrar em contato com a unidade através do (79) 3211-2571 / 3211-1065 e o funcionamento da unidade ocorre de segunda a sexta, das 7h às 18h.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *