Página Inicial > Notícias > Notícias > Centro de Reabilitação auxilia no tratamento dos chamados atletas de fim de semana

Centro de Reabilitação auxilia no tratamento dos chamados atletas de fim de semana

Última atualização em 03/09/2019 às 11:33 am

O policial militar Patrício Canuto, 32 anos, faz tratamento no Centro de Reabilitação há um mês. Lesionado há quatro anos enquanto fazia exercícios na corporação ele decidiu procurar a terapia com o intuito de voltar a fazer esportes. “Sempre pratiquei artes marciais e futebol aos finais de semana. Parei desde o acidente, mas agora quero voltar à ativa. Por isso procurei o Centro de Reabilitação do Ipesaúde”, disse.

As lesões dos chamados atletas de fim de semana fazem parte dos cuidados da unidade do Ipesaúde. Marcelo Augusto Ferreira Cruz, é profissional do Centro de Reabilitação e há dois anos e grande parte de seus atendimentos correspondem a pacientes com lesões pós-operatórias em joelhos e ligamentos. O tratamento varia de acordo com cada paciente. No geral os usuários do plano ficam de seis a oito meses frequentando o local para recuperação. “Nos primeiros trinta, quarenta dias a pessoa recém-operada precisa vir pra cá todos os dias, de segunda a sexta-feira. Depois desse período o paciente passa a vir pra cá de três a quatro vezes por semana”, explicou Marcelo. Entretanto o acompanhamento é mais extenso do que isso.

Além de o desportista amador ficar na fisioterapia do Centro, em sessões que variam entre uma hora e uma hora e vinte minutos, ele também precisa fazer exercícios em casa ao menos outras duas vezes por dia. De acordo com o fisioterapeuta “essa recomendação é importante para a evolução e recuperação total do paciente, prevenindo assim um retardo no tratamento”.

Com atletas amadores a terapia é realizada de duas maneiras: a primeira é feita com exercícios nos aparelhos da academia do Centro de Reabilitação – denominada de mecanoterapia – com o intuito de estimular a musculatura do paciente. Já a segunda etapa corresponde à parte da fisioterapia convencional, a chamada cinesioterapia. Nessa fase a parte motora e de equilíbrio é trabalhada no usuário do plano.

O professor do estado Murilo Aguiar de Souza, 34 anos, também é atleta de final de semana. Depois de fazer uma cirurgia no ligamento o docente procurou o Centro de Reabilitação para se recuperar e já está em tratamento há 120 dias. “Eu estou me sentindo muito bem, até com um nível de recuperação mais avançado do que deveria”, respondeu com entusiasmo o beneficiário.

O núcleo fisioterápico do Ipesaúde fica na Rua Dom José Thomaz, 339 Bairro São José.

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *