Atendimento domiciliar

REDE DE SERVIÇOS




  • 13/06/2018
    A depender do estado de saúde em que se encontram, alguns pacientes do Ipesaúde recebem visitas periódicas por parte de uma específica equipe de enfermagem da autarquia.


    A ação é gerida pela Diretoria de Promoção à Saúde (Dirpros) e executada pelo Programa de Educação e Promoção à Saúde do Beneficiário (Pepasb).


    Nessas ocasiões são atendidos usuários da alta, média e baixa complexidade mediante acompanhamentos semanais, quinzenais ou mensais. Contatos telefônicos são feitos diariamente no intuito de manter a assiduidade e a presteza do acolhimento para com os assistidos. As visitas periódicas já existem há nove anos e tem como objetivo o bem estar do beneficiário da instituição.


    De acordo com a Diretora de Promoção à Saúde, Taciana Carvalho, a maior vantagem do programa está no conforto proporcionado aos beneficiários do plano. “As visitas servem de assistência, prevenção e controle da situação clínica dos usuários do Pepasb. Nessas oportunidades temos condições de avaliar a saúde do paciente e, caso seja necessário, a equipe de enfermagem já faz o encaminhamento imediato para consultas e exames especializados com profissionais adequados da instituição ou de suas credenciadas. Tudo é e precisa ser prático e conveniente para o contribuinte inserido no programa”, disse a gestora.


    De acordo com a enfermeira do Pepasb, Stephane Sampaio, as visitações ocorrem todos os dias e são organizadas por conjunto de beneficiários residentes numa mesma área ou bairro. A partir desse ponto inicial os usuários são separados em três grupos: “Os pacientes que necessitam de cuidados especiais, como os acamados e descompensados, por exemplo, se enquadram no contexto da alta complexidade. Os de média são aqueles com estado de saúde mais equilibrado, porém, que sofrem de restrições no que tange a transporte ou são mais teimosos para com os cuidados do seu próprio quadro clínico. Já os de baixa complexidade são aqueles com a saúde mais estável e prestes a ter alta”, explicou Stephane.


    Beneficiário há 30 anos do Ipesaúde, o professor aposentado, José de Oliveira Bezerra, 76, é acompanhado pelo Pepasb desde 2015. Há uma década o usuário tem diabetes e há quatro anos precisou amputar parte da perna direita em decorrência de complicações da doença. “Eu acho o atendimento das enfermeiras maravilhoso! As meninas são muito atenciosas no acompanhamento da minha glicemia e da minha pressão, além de estarem sempre observando a evolução do meu quadro clínico de uma forma geral”, disse o beneficiário que, ao lado da sua esposa, a dona de casa Elaine Vasconcelos Bezerra, 70, é só elogios ao programa.


    Há um projeto de uma sala exclusiva para abrigar o Pepasb dentro da sede do Ipesaúde, ainda sem previsão de entrega por parte da autarquia. Atualmente o Programa de Educação e Promoção à Saúde do Beneficiário está lotado na sala da Diretoria de Promoção à Saúde (Dirpros), localizada no Centro de Especialidades da instituição, situado à rua Campos, 177 bairro São José. Os contatos telefônicos são 3226-2796 e 3226-2739.


    1
    2
    3
    4